sábado, 26 de julho de 2008

O crime compensa

Em Gaia, a taxa de acessos, ou das rampas, acabou, numa decisão tomada já há umas semanas. Este imposto camuflado iria permitir um encaixe financeiro que, em causas sociais, tal como anunciado, pouco deveria ser aplicado.
CDU e BE pediram a restituição do dinheiro a quem pagou atempadamente, algo que foi reprovado pelo executivo.
Quem não pagou, está-se agora a rir, e o crime compensa, em Gaia, cidade do Far West.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Marés Vivas 2008 - 1ª noite

Tive a sorte de poder ver este festival na minha terra. Nem levei carro, fomos a pé para a 1ª noite, 15 euros de entrada.
Alguns tópicos sobre as bandas:
Klepht - quando cheguei, já a banda dos Morangos estava a actuar. Coisa fraquinha, poderão com a máxima certeza evoluir.
Tara Perdida - boa legião de fãs, uma guitarra com problemas, mas bom som, o Ribas muito comunicativo e a demonstrar muitos anos de palco, perfeitamente enquadrado com a situação live.
Shout Out Louds - um longo bocejo, nada mais a acrescentar.
Sisters of Mercy - uma verdadeira bosta. Com o som a não ajudar, ninguém percebeu se o homem cantava, se havia duas guitarras em palco ou apenas uma. Os temas têm todos a mesma batida, não se percebe de que álbum saíram, estão todos iguais, acelerados em relação ao original. Estive sempre à espera de ver Andrew a abandonar o palco sem dar cavaco aos dois guitarristas. Pela suspresa, apenas gostei de ouvir Giving Round, tema do projecto Sisterhood.
Peter Murphy - novamente a solo, depois de o ver duas vezes com Bauhaus. Um som a ajudar, uma performance que não conhece idade.
Mark Gemini Thwaite é o grande guitarrista que acompanha Peter Murphy ao vivo, já tendo colaborado com os The Mission, Tricky, Alanis, Gary Numan, Spear of Destiny, ... Como não sou rapaz de pedir autógrafos ou de incomodar os músicos, nada lhe disse quando ele (e o baixista, que não conheço) passou por mim, discreto, encaminhando-se para os lados do palco dos portugueses, e passo aqui a imodéstia, mas estou certo que mais ninguém deu por ele, nem mesmo quem tinha T-shirts dos Mission. Um bom instrumentista, sem dúvida.
Penso que os temas apresentados poderiam ser outros e de outra forma. Versões de Bauhaus, com um She's In Parties bem acolhido, e de Hurt - Nine Inch Nails. A guitarra de 12 cordas caiu bem, e fez muita falta no concerto de Sisters.

O público era festivaleiro, apesar das inumeras t-shirts de SOM e Bauhaus. Houve gajos que não pararam, andaram de um lado para o outro a furar pelo meio dos outros durante todos os concertos.

Para o ano há mais, diz-se por aqui. Esperemos que sim, mas que ninguém se esqueça que ainda o ano passado este mesmo festival foi cancelado.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Hoje vamos ver estes gajos



Peter Murphy + Sisters of Mercy

sexta-feira, 11 de julho de 2008

A vida é uma merda

Um dia estás no trabalho e alguém te liga, a dizer que um ente querido não acordou. Tens que ver com os teus olhos, não pode ser, ainda nessa noite o ouviste a chegar de ter ido jantar fora com amigos, ouviste o arrastar do móvel para ele colocar o telemóvel a carregar mais perto do quarto, ouviste-o a ligar o alarme do rés-do-chão. Não pode ser, tens que ir ao quarto e abanar um pouco o corpo, até ele acordar e até te aperceberes que afinal está gelado, inamimado.
Choras, e abraças quem está presente, quem primeiro descobriu.
Aqui, tens de decidir ou em ligar para o 112, que leva o corpo para autópsia, só o devolvendo passado uns dias, ou em ligar para o cangalheiro, que trata de tudo mais rápido, e algum médico dirá qual a causa, num jogo de totoloto. Se receberes os funcionários desse cangalheiro em 5 minutos, vais-te dividindo em chorar, arranjar certidões sobre a campa, informar filhos, irmãos, familiares, amigos, e alguns vizinhos que insistem em perguntar o que aconteceu a alguém com quem ainda ontem tinham falado.
Tens a papelada toda? Pois, mas a última pessoa que faleceu foi há 4 anos para aquela campa ou jazigo, e não passou ainda o tempo estipulado. E altura, pode não ter altura, o coveiro terá de lá ir, quando entrar no turno dele, para ver se tem essa tal profundidade, mesmo que te questiones porque não há-de um homem ser enterrado junto das já falecida esposa, da mãe e da irmã com quem sempre viveu. Há que ligar para o dono da funerária e dar-lhe conta disto.
Alguém te diz que devem informar as finanças, ou então haverá multa.
Há regras e leis para tudo, mesmo para quando se morre.
Isto em pouco mais de 10 minutos. Enterrar uma pessoa demora muito mais do que isso.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Ricardo no Inter




Esta chegou por e-mail, mas está muito boa.